[ENTREVISTA] Hip-Hop Playa – Rap Monster: “Mesmo que seja para dizer coisas ruins, eu realmente espero que vocês ouçam à mixtape.”

20150324_142716141732

Como aconteceu o trabalho em cima de “P.D.D”?

Através do reality show do BTS da Mnet que foi ao ar ano passado, eu encontrei o Warren G pela primeira vez. Naquela época, o Warren G disse que queria nos dar uma batida. Depois de discutir como e em qual álbum seria legal trabalhar nisso, eu acabei lançando meu single solo.

Tem uma história de que vocês o subornaram com dinheiro (risos). Se você puder esclarecer essa história, por favor.

Enquanto filmávamos o programa, nós primeiro tivemos uma proposta de trabalho pelo lado do Warren G. O Warren G pessoalmente disse isso, e eu lembro do gerente dele propondo isso de forma realmente positiva. Na verdade, além de “P.D.D”, o Warren G disse que gostaria de remixar uma das faixas do BTS e colocar no álbum. De primeira, eu pensei que ele estava apenas dizendo por dizer. Mas ele disse que estava falando “sério”, e então eu percebi naquele momento que isso era real. Ele disse, “Quando vocês voltarem para a Coreia, eu irei falar sobre isso oficialmente com sua empresa”. Talvez ele estivesse a fim de tentar algo novo. Entretanto, provavelmente há aqueles que não querem acreditar nisso e vão acabar sem acreditar (risos).

Eu ouvi dizer que vocês primeiro receberam algumas músicas.

A princípio, nós recebemos três músicas. No entanto, o sentimento não atingiu a gente de uma boa forma. Esse não era o sentimento do Warren G que eu tinha pensando a respeito. Eu estava procurando uma música como “Regulate” ou “This DJ”, mas não era esse tipo de música. Esse foi o motivo pela qual eu pedi para que outra música fosse mandada, e recebi mais três. Entre essas, “P.D.D” foi a música que eu achei mais próxima do sentimento do Warren G.

“P.D.D” é definitivamente uma música que tem as vibes tradicionais do Hip-Hop da costa oeste. Teve um motivo especifico para adicionar esse tipo de letra nesse tipo de som?

Logo que eu ouvi a música, as palavras “Please Don’t Die” vieram à minha mente naturalmente. Eu acho que inconscientemente pensei que seria divertido falar sobre uma história levemente brutal por cima de uma batida suave.

Quando se pensa em “batalha de rap’”, as pessoas normalmente pensam em letras diretas. Algo como “eu vou matar todos vocês!” (risos). No entanto, essa música passa a sensação de um discurso indireto.

Ela reflete como eu me sinto ultimamente em relação aos que me odeiam e me criticam. Há muito tempo, eu costumava achar isso muito chato e ficava com raiva. Contudo, eu tenho sido capaz de me erguer acima disso. Eu realmente desejava adicionar esse sentimento. Essa também é a razão por trás da frase “Se você quiser vir comigo mesmo agora, então vamos lá”.

Quando eu vejo essa letra na ponte, eu sinto que você está mais confortável do que antes.

É verdade. Não é feito à força, mas ultimamente realmente parece assim. Se tem uma pessoa que fez ataques pessoais à mim, mas quer vir comigo daqui para frente, então eu quero que eles venham. Eu estou confortável assim. Eu também sinto que eu amadureci um pouco.

Aqueles que não sabem as várias narrações de batalhas de rap, as tradições dos sons do Hip-Hop da costa oeste, ou a beleza específica escondida do Hip-Hop, poderiam continuar a ver essa música como entediante ou nada demais.

Eu simplesmente aceito. Eu respeito os gostos dessas pessoas. Eu não quero força-los a gostar ou explicar à eles. Apesar de eu me sentir agradecido àqueles que entendem a minha intenção ou a apreciam.

Francamente, “P.D.D” tem algumas semelhanças com “Regulate” se você olhar bem. Apesar de “Regulate” ter recebido muito amor da Coreia com um som suave, é uma música que tem um significado em seu próprio aspecto de “contar uma história” também, e mais do que tudo, se você olhar para a letra de “Regulate”, é meio brutal e não parece combinar com o som.

Isso é verdade. Eu recebi muito influência de “Regulate” sem saber. Honestamente, quando eu ouvi “Regulate” pela primeira vez, eu achei ela meio estranha (risos). “O som é bom, mas por que a letra é assim?”, “Por que ele fala sobre ser assaltado de uma forma tão gentil assim?” é o que eu pensei.

Você normalmente gosta de escrever letras para batalhas de rap assim? Mesmo que você não esteja atacando alguém pessoalmente.

É isso. Eu gosto de escreve-las. E eu também acho que não é preciso especificamente atacar alguém.

O que você quer dizer exatamente quando diz que não é preciso especificamente atacar alguém?

Eu não sou do tipo que gosta de atacar. Mesmo que eu fosse atacar, eu não sou do tipo que ataca com muita agressividade. Porém, eu sou do tipo que tem que dizer tudo que eu quero. Não importa qual seja a situação, devo dizer que isso tem que ser resolvido através da música. Apesar de que alguém pode pensar, “Se você vai atacar alguém, você deveria ter feito isso direito” após ouvir “P.D.D”, mas essa é a minha tendência e o meu método.

Da perspectiva do ouvinte, havia aquele lugar que era meio divertido. A frase “Dar uma volta comigo” aparece repetidamente durante a ponte, e é claro, eu entendo que é uma expressão simbólica para dizer “Venha comigo”. Porém, quando você ouve muito Hip-Hop da costa oeste, eles normalmente não usam expressões bem diretas ao invés da expressão “dar uma volta comigo”? Algo como, “Ande no meu carro e vamos em direção à praia de Long Beach” (risos). Devo chama-la de “música para dirigir”. Enquanto eu ouvia a música, coisas assim estranhamente coincidiram.

Francamente, enquanto eu escrevia a letra, eu realmente queria incluir a expressão de “dar uma volta”. Os clipes de Hip-Hop da costa oeste que eu assistia normalmente começaram a vir à minha mente, e eu achei que seria uma expressão que se encaixava bem com a vibe de Hip-Hop da costa oeste que o som possuía. Eu achei que seria bom se as pessoas aceitassem essa letra como “média”.

Eu ouvi dizer que você recebeu muita orientação do Warren G.

Eu queria perguntar muitas coisas sobre Hip-Hop para o Warren G. Como ele disse, coisas como “armas, drogas, assaltos”, não são coisas que são o próprio Hip-Hop, mas sim um lado negativo que está incluído no Hip-Hop. É como um hóspede não convidado que se infiltrou nele, mas as pessoas dizem que isso é o Hip-Hop. Ele também me disse que o Hip-Hop é algo que está aberto a todos, independentemente de qual raça você é ou qual idioma você fala. Eu ouvi muitas coisas boas dele além disso também. Isso pode parecer algo muito óbvio, mas o peso disso pareceu diferente quando o Warren G disse. E após tudo que ele dizia, o Warren G colocava “Está tudo bem”. Quando eu estava do lado e ouvia essas palavras, o meu humor ficava muito bom. Devo comparar isso ao sentimento de um avô contando boas histórias ao seu lado (risos).

Você pode avaliar o Warren G quando ele “está de óculos” vs quando ele “os tira”?

Como o tempo passou, eu acho que é muito melhor quando ele usa óculos. Há muito tempo, ele era realmente “muito bonito”… Se você olhar fotos ou assistir clipes daquela época.

Então eu vou simplesmente encerrar isso como que ele era mais bonito há muito tempo sem óculos, mas está melhor agora com óculos. Tem algo mais que você quer falar sobre “P.D.D”?

Hm. Colocando tudo de lado, foi realmente apenas um acontecimento de sorte eu ter conseguido fazer um rap em cima da batida do Warren G. Apesar de alguém poder tentar me derrubar por esse ou aquele motivo, eu estou orgulhoso e essa foi uma boa experiência.

Vamos falar sobre a sua mixtape, “RM”. Você pode nos dar o conceito dessa mistape?

Se você olhar a capa do álbum, o meu rosto está dividido em preto e branco. Eu queria mostrar que eu sou hipócrita (duas caras). Eu sou positivo às vezes, e negativo em outros momentos. Eu falo sobre esperanças em alguns pontos e depois esqueço isso. Você pode ver isso como algo que eu fiz mostrando os vários lados dentro de mim mesmo. Eu queria expressar o pensamento de, “Há tantos lados dentro de mim, mas no fim, esse sou eu, e para você que está ouvindo isso, é apenas você também”. Eu gosto muito de “Just Do You” da India Arie. É uma música que meu deu bastante conforto quando eu me sentia confuso. Eu acredito que a mensagem da música me deu muita influência nessa mixtape. É por isso que a música que representa toda a mensagem dessa mixtape é “Do You”.

Esse é um solo, não um trabalho em grupo, e é uma mixtape, não um álbum. Houve alguma estrutura específica ao trabalhar nela?

Eu tentei trabalhar nela da forma mais confortável que eu podia. Tentei não pensar muito. Mesmo que tivesse letras que poderiam começar uma controvérsia, eu simplesmente a deixei se não fosse muito agressiva. Um álbum do BTS é algo que não é só meu, e precisa se encaixar no conceito do grupo, por isso que há muitas coisas que precisam ser pensadas. Mas como essa mixtape é minha, eu tentei examinar o mais próximo do meu verdadeiro eu e trabalhar nela de forma tranquila.

Os palavrões e palavras agressivas se destacam.

Francamente, eu não sou uma pessoa que gosta de falar palavrão. Porém, eu acreditava que havia uma emoção que só poderia ser liberada através de “m**da” ou “p**ra”. Então eu usei palavras assim em momentos em que era necessário. Não é como se fosse um trabalho que tinha que passar por análise.

Como você escolheu a ordem das faixas da mixtape?

Primeiramente, após ter escolhido a ordem, eu a discuti com a minha empresa. Por exemplo, quando eu fiz a primeira faixa, “Voice”, eu achei que deveria ser a primeira desde quando eu a tinha feito. Essa música é a única que fala sobre o meu passado, desde quando eu era jovem até agora. Também é uma música que eu fiz após receber influência de alguns rappers estrangeiros fazendo rap por cima de um som de piano. Depois dessa, “Do You”, a qual contém a mensagem da mixtape, vem e nela eu queria falar mais definitivamente sobre o que eu queria dizer através de “Awakening”. Em seguida, vem “Monster”, “Throw Away”, “God Rap”, e nessas músicas, eu apenas queria “fazer rap”. Eu fiz pensando em músicas de rao que são boas de ouvir e hm… Isso fez o meu coração palpitar.

Você está falando sobre o “prazer auditivo” que só pode ser dado através de raps e não canto?

Isso mesmo. É isso. Eu não consegui expressar bem (risos). E para a última faixa, eu coloquei “I Believe”. O motivo pelo qual eu achei que deveria colocar essa música como a última é porque não importa como foi o processo anteriormente, eu acabo acreditando em mim mesmo. Eu queria resumir isso.

Sem ao menos ouvir a sua explicação, “Voice” realmente soa como a primeira faixa, e “I Believe” de fato se encaixa na última posição. Houve alguma música que foi omitida durante o processo de trabalho?

Uma música chamada “Dreams”. É uma música que eu fiz há uns 2 anos, mas eu senti que ela não se encaixava no conceito da mixtape, então eu não a incluí. Apesar de ter algumas músicas que estavam na categoria melodramática, eu senti que ela era aleatória, então eu não a coloquei. Ah, também tinha uma música que tinha a ver com dinheiro, mas eu não coloquei ela porque eu ainda não consegui uma quantidade grande de dinheiro, e eu nunca tive preocupações desesperadas por causa de dinheiro antes, portanto eu não conseguiria compreender os pensamentos das pessoas. Francamente, quando eu estava escrevendo a letra dessa música, haviam momentos em que eu ficava preso e confuso no meio, mas eu acho que é porque eu ainda não tenho preocupações suficientes, ou ainda não tenho anos o bastante de experiência acumulados.

Então você acha que acabou ficando bom após tirar essas músicas?

Apesar de eu estar muito absorvido nelas quando estava as fazendo… Eu acredito que deu certo no final. Embora eu tenha ficado triste por causa disso no começo, eu vejo que a mixtape ficou mais refinada e concentrada. E eu posso usar essas músicas depois de qualquer maneira.

Tem alguma mensagem que você deseja que as pessoas que ouvirem não percam?

“Você seja você, eu serei eu” é o lema dessa mixtape. O que eu quero dizer é que, “Você faça o que você tem que fazer, e eu farei o que eu tenho que fazer. Mas eu sou assim”. A ideia de “Você é você, e eu sou eu” é a maior coisa que tem assumido o controle de mim mesmo ultimamente.

20150324_142716145135

Têm algumas músicas que se focaram em técnicas de rap. Por exemplo, “Joke” é assim. Você pode falar sobre essa música?

“Joke” é uma música cuja letra foi escrita com um fluxo de consciência. É por isso também que o título é “Joke”. Não há nada escondido por trás da letra. É 500% para o prazer auditivo das músicas de rap. Como as outras músicas tem mensagens e emoções colocadas nelas, eu senti que era necessário adicionar uma canção agradável e sem muitos pensamentos. Eu coloquei nelas muito do que eu acredito ser “habilidades” de rap.

Qual o motivo para ter escolhido “Run The Jewels” como a batida de “Joke”?

Eu normalmente gosto do Run The Jewels. Tinham algumas músicas que eu tinha gravado por cima da batida do Run The Jewels entre as canções que não foram colocadas na mixtape. Eu acho que eles fazem batidas muito bem, nas quais o EI-P é mínimo, porém consegue dar ênfase ao efeito audível dos raps. Tinham cinco músicas candidates para serem usadas em “Joke”, mas todas elas eram batidas do Run The Jewels. Eu normalmente pensei que se eu tivesse a chance de mostrar as minhas habilidades, que eu poderia usar as batidas do Run The Jewels custe o que custar.

Eu concordo com o que você pensa sobre a batida EI-P. É um som que queima o espírito de combate de um rapper com “Eu tenho que mastigar essa batida” (risos). Você pode falar sobre Rush em seguida? Na qual o Krizz Kaliko participou.

Uma vez nós fizemos uma apresentação de dança para “Spaz” do Krizz Kaliko no ano passado para as premiações de fim de ano. E eu não sei como ele descobriu sobre, mas aquele vídeo apareceu no Twitter do Krizz Kaliko. Ele disse “Olhe esses caras. Eles dançaram a minha música e é muito legal”. Eu normalmente gosto das músicas do Krizz Kaliko, então após ver isso, eu mandei uma mensagem para o Krizz Kaliko. Eu perguntei sobre trabalharmos juntos por DM, mas ele respondeu tão tranquilamente que nós deveríamos trabalhar jutos. Então eu enviei algumas batidas para ele, e o Krizz Kaliko escolheu a que eu mais gostava pessoalmente. Eu pensei que, como esperado, ele tem bons ouvidos (risos). No final, ele realmente trabalhou duro. Ele perguntou primeiro “Quer que eu faça o refrão também?”, e eu não sei como ele sabia, mas ele colocou a palavra “oppa” na letra antes de nos enviar. Ele provavelmente conhecia por causa de “Gangnam Style”. E ele também eixou um espaço em branco no refrão e sugeriu “Não seria legal se você colocasse coreano nessa parte?”. E sobre a mixagem, ele respondeu “Eu estou em turnê no México, mas a mixagem não está muito boa porque não foi feita com o engenheiro que eu trabalho normalmente. Então, eu acho que seria bom se vocês refizessem a mixagem. Desculpe”. Mesmo que depois que o trabalho estava finalizado, ele propôs “Já que eu trabalhei na sua mixtape dessa vez, vãos trabalhar oficialmente e lançar uma música”. Da próxima vez que eu for aos Estados Unidos, eu quero muito conhece-lo.

Você gosta do rap do Krizz Kaliko em “Rush”?

É claro. Eu senti que ele genuinamente trabalhou nele. Eu também gosto da melodia. O divertido é que, sempre que nós recebemos um prêmio em alguma cerimônia, o Krizz Kaliko sempre nos envia uma mensagem de parabéns (risos). Eu acho ele um pouco fofo também.

A partir de “Voice”, eu pude ouvir a parte em que você fez uma homenagem à “One Mic” do Nas.

Eu normalmente gosto de “One Mic”. Eu gosto do desenvolvimento que é como um filme, e o clima silencioso dela. Eu recebi muita influência de “One Mic”, e usei uma pequena parte da letra dela. É um respeito do meu próprio jeito.

Após ouvir a sua resposta, eu lembrei. Recentemente houve a exibição de um documentário. O que você sentiu?

Eu aprendi muitas coisas que eu não sabia. A entrevista com o irmão mais novo do Nas, Jungle, foi especialmente interessante. Eu estava esperando por muitas histórias em Bravehearts, mas elas não apareceram. Verdadeiramente, apesar de eu ter sentido algo a partir do próprio filme, eu também aprendi muitas coisas da própria exibição. O nosso país consegue fazer coisas assim, e mesmo quando eles fazem isso, as pessoas também vêm… Um orgulho assim.

Em “Voice”, tem uma linha que é “Eu admito, o meu passado negro”.

Assim como diz, é o meu passado negro. Algo que pode ser resumido com Kanye West e Kendrick Lamar.

Se você diz Kendrick Lamar, então você está falando sobre a sua “School of Tears”, na qual você fez um cover da música dele, “Swimming Pools”?

Certo.

Mas essa música não é apenas um cover como você diz? Usar o flow da música original sobre a batida da canção e fazer o rap é algo que pode ser visto com frequência em uma mixtape de Hip-Hop ou em uma música lançada.

Apesar de eu ter filmado o clipe de “School of Tears”, foi uma música cover na qual eu revelei o que a canção original era antes de ser lançada. Então foi apenas uma sucessora, mas foi muito criticada falando que era plágio. Francamente, se o objetivo fosse o plágio, quem faria daquela forma? E também, porque era uma música cover, tem muitas partes em que eu faço o mesmo flow do Kendrick Lamar de propósito, para que eu pudesse aprender o seu flow. Porém, houveram muitos comentários negativos como “Isso é uma desgraça para o país”, “Você nem mesmo tem coragem como rapper?”.

Ao meu ver, isso não faz sentido. Na verdade, isso simplesmente soa como ataques que começaram a partir da ignorância. Não torne isso o seu passado negro, vamos fazer desse o seu passado claro. Agora, o que você quer dizer com o Kanye West?

Durante o ensaio para a coreografia do comeback do BTS, nós a encaixamos com “Black Skinhed” do Kanye West. Agora, olhando para trás, eu acho que pode ter sido um ignorante demais por parte da empresa. Porque nós não podíamos usar “Black Skinhead” em transmissões ao vivo. De qualquer forma, o nosso coreógrafo é incrivelmente talentoso, então ele havia organizado a coreografia perfeitamente para que se encaixasse em “Black Skinhead”. Portanto nós estávamos preocupados com como iríamos mudar isso antes da nossa apresentação de comeback. Mas após muda-la várias vezes, a dança totalmente morreu. Então no final, nós tivemos que fazer uma música nova que era parecida com “Black Skinhead” e fazer a nossa apresentação de comeback. Se eu tivesse que dar uma desculpa, essa música não foi colocada no álbum, e não foi usada com finalidades comerciais. Simplesmente foi usada para a nossa apresentação ao vivo. Como uma música de fundo. Mas eu acredito que as pessoas com certeza poderiam criticar isso. Não importa qual foi a situação ou o processo, o resultado foi esse.

Eu acho que se você quisesse ver isso como um passado negro, com certeza poderia ser visto como tal. Apesar de que seria bom se as pessoas entendessem esse processo, não há possibilidade disso. Agora, vamos falar sobre “God Rap”.

“God Rap” sem dúvidas foi muito influenciada pelo Nas também. Devo chama-la de beleza escondida do Nas? Eu pensei muito na vibe do Nas enquanto eu a estava fazendo. Sinceramente, eu pensei muito quando eu estava tentando dar um título. Porque já tem “Rap God” do Eminem. Porém, “God Rap” não é algo em que eu estou dizendo que sou o “deus do rap”. A história é totalmente diferente. Ela fala sobre como não existe um deus no mundo, e que os únicos deuses somos nós mesmos. É a ideia de que a única coisa que escolhe o meu destino é o meu próprio eu.

Você não tem religião?

Não, eu não tenho.

Você é ateu?

Sim.

Coisas que falam sobre religião ou são relacionadas à deuses me lembram de “Christ Conscious” do Joey Bada$$. Você fez uma referência à ela?

Ah, eu não fiz referência àquela música. Se qualquer coisa, como eu disse antes, eu recebi influência do Nas. Mas, agora que eu ouço à música, parece que há uma conexão (risos). Eu normalmente também ouvia muito “Christ Conscious”.

Agora vamos falar sobre controvérsias e problemas. “No More Dream”, que é a sua música de debut e falava sobre as realidades da educação, recebeu muitas críticas, dizendo que era “certamente um método comercial desde os tempos do H.O.T de grupos de idols que são desgastados e transparentes”.

Para esse problema, já tem uma solução dentro de mim. Eu penso que os jovens adultos de hoje são que nem eles eram antigamente. Eles continuam a não ter sonhos, não querer estudar, e não têm ideia do que eles querem fazer. Eles apenas querem se tornar funcionários do governo e conseguirem muito dinheiro. Eu acredito que é o mesmo que era quando “Warrior’s Descendant” foi lançada. É por isso que nós estamos apenas tentando expressar claramente a realidade de agora. “Um estudante que apenas estuda bastante embora ele não tenha um sonho” é exatamente quem eu era. Não era algo em que eu estava tentando trazer histórias antigas, mas sim algo que era totalmente a minha própria.

Eu vi que você estudava bem durante os seus tempos de escola.

Eu sentia que eu tinha que fazer algo. Eu acreditava nas palavras de que “se você não estuda agora, você não conseguirá obter sucesso no futuro”. É por isso que eu estudava arduamente. A única coisa que eu gostava do estudo era a sensação de conquista e superioridade. Eu não gostava do próprio estudo. Francamente, quando eu escrevi a letra de “No More Dream” , eu recebi muitas rejeições do CEO Bang Shihyuk. Eu escrevi sobre dinheiro e muitos outros assuntos, mas ele disse que não parecia com as nossas verdadeiras histórias. Após voltar e voltar de novo, eu acabei conseguindo escrever o que eu realmente sentia.

20150324_142716150799

Isso me faz ter esse pensamento. Com certeza pode haver críticas em relação à “No More Dream” a partir do ponto de vista histórico dos idols, ou a partir de fluidez da indústria musical. Já que ninguém precisa saber o motivo ou o significado da criação. Porém, se essa é realmente a sua própria história, eu acho que isso tem um lado Hip-Hop do contexto de ser “real”.

Apesar de eu acreditar que posso ser criticado, eu não tenho nenhum constrangimento em relação à letra daquela música. Era realmente a minha história.

Você gritou “Westside Till I Die” (Westside até eu morrer) em “If I Ruled The World”.

Isso é, bem… Eu estava muito errado naquela época (risos). Após o álbum ser lançado e eu ter ouvido eu pensei “Ah”. Eu acho que estava imerso nas emoções enquanto estava gravando, e acabei gritando daquele jeito.

Qual é o motivo específico por você ter sentido que estava errado?

Primeiramente, eu não vivi no “westside”… E mesmo que aquela música tivesse um som de G-Funk, o que eu gritei não foi a maneira de respeitar os músicos do Hip-Hop da costa oeste. Eu acredito que existem muitos significados dentro das palavras “Westside Till I Die”. Suor, lutas, orgulho, etc. Essa é uma frase que comprimiu todos esses fatores da vida, não?

Você está dizendo que negligenciou o peso e a complexidade escondida que essa frase tem dentro do Hip-Hop?

Certo. Eu acredito que é diferente de palavras como “Yo!” ou “Check It!”. Como resultado, eu fui imprudente.

Você está admitindo que foi um equívoco?

Mais do que um equívoco, foi errado. Eu não tenho nada a dizer.

Então vamos falar sobre a batalha(?) com o Bobby. O que a começou?

O Bobby fez referências à mim algumas vezes no Show Me The Money. Ele parecia gostar de usar palavras como “sangnamja*” e “vivendo uma vida agitada**”. Dizer “Como um verdadeiro homem, eu vivo uma vida agitada” não é uma combinação comum de palavras, certo? Eu achei que não era só uma coincidência. Ele não só atacou o Bangtan, mas o Boyfriend também. Era o contexto de “Tudo que vocês estragaram, eu vou mostrar aqui”. Porém, eu nem pensei muito nisso naquela época também. Eu apenas pensei, o Bobby simplesmente não gosta da gente. Mas na sua letra de “Come Here”, haviam partes em que parecia que nós éramos o alvo novamente. “Eu vivo uma vida agitada, não há necessidade para garotos bonitos / Eles me chamam de monstro, eu nunca me chamei assim / Vocês gostam de um espelho de corpo inteiro muito mais do que um calabouço / Se as minhas habilidades fossem aparências, então eu pareceria com o Wonbin em frente à um espelho à prova de balas”. Mas para ser honesto, o Bobby não é bem um Wonbin… (risos).

*Sangnamja significa “verdadeiro homem” e também é o título em coreano de Boy In Luv.

**A expressão é pronunciada como Bangtang, que soa como Bangtan.

Então ele é o Hyunbin?

De qualquer forma, aquela letra foi a terceira vez. Eu senti que eu seria um idiota se eu simplesmente suportasse isso até à terceira vez. Se eu não desse uma resposta de qualquer forma, então isso também seria um insulto aos fãs, e eu pessoalmente não poderia deixar isso passar também. Sinceramente, eu estava planejando usar alguma letra na minha mixtape (RM) na apresentação do MAMA. Porém, após ouvir “Come Here”, eu rapidamente mudei a letra para responder ao Bobby. E então, assim que as pessoas entenderam aquela letra, acabou se tornando um assunto popular. Mas eu pessoalmente respeito o Bobby. Ele se sai muito bem no palco. Embora eu não ache que os seus raps são excepcionais ou que ele tenha uma variedade grande, a sua habilidade de dominar o palco é boa, e ele tem um estilo legal de Hip-Hop que rappers não conseguem alcançar. E o fato de ele ter ganhado o Show Me The Money, mesmo que ele tenha tido ou não o poder da sua empresa, é algo que com certeza o confirmou.

Tornou-se um assunto se era uma rodada de diss* ou uma batalha.

Eu acho que se tornou um assunto ainda maior porque o Bobby e eu estamos na categoria de idols. Eu também senti que eles estavam nos colocando para brigar (risos). Mas não foi assim.

*Diss é uma canção feita com o intuito de insultar ou atacar verbalmente alguém.

Eu ouvi dizer que vocês se cumprimentaram nos bastidores do MAMA.

Depois que a apresentação acabou, eu desci e o Bobby meu deu um high-five atrás do palco. Ele disse que seguiu a minha letra com a boca e que assistiu bem. Eu descobri que quando eu estava me apresentando no palco, o Bobby estava me assistindo com atenção.

Se você julgar e ver essa situação, eu sinto que a mente do Bobby é muito Hip-Hop. Não parece que ele percebe que é um competidor e um jogo que se forma dentro da música?

É exatamente isso. É exatamente isso que eu quero dizer, mas as pessoas não entendem direito. Os nossos fãs estão preocupados que nós vamos acabar brigando assim (risos). Mas eu espero que eles percebam que não é assim.

Colocando de lado quem é bom ou ruim, ou em qual lado você está ou não, eu acho que é simplesmente legal de ver. Eu sinto que vocês dariam sinergia um ao outro também.

É verdade. “Control Crisis” do Swings não foi uma forma de subir os níveis de todos através de uma competição de música? Mas, porque eu e o Bobby estamos sob a categoria de idols, eu acho que se tornou uma controvérsia maior. Eu espero que muitas pessoas consigam perceber que, dentro do Hip-Hop, essa é uma forma de se expressar e que isso é natural.

Você fez a apresentação do MAMA com o Zico. Ele te deu esse ou aquele tipo de conselho?

Eu conheço o Zico hyung desde quando eu era criança. Eu acredito que as ações do hyung em geral me mostram muita coisa. Me ajudam, mas também me estimulam.

Então é um relacionamento como Seo Janghoon e Hyun Jooyeop?

Disso… Eu não sei muito sobre.

Antes de vocês subirem no palco para o MAMA, sobre o que falaram?

Sinceramente, eu escrevi a letra que eu iria usar no MAMA um 4 ou 5 dias antes. Depois que eu falei isso, o Zico hyung me disse que é perigoso escrever letras rápido assim e que eu deveria ser cuidadoso. Contando que ele cometeu um grande erro uma vez (risos).

O que as promoções com um grupo idol significam para o Rap Monster? Um bom passo para conseguir alcançar o meu objetivo? Algo que é realmente o meu objetivo? Ou apenas algo que você simplesmente acabou fazendo?

Apesar de eu não estar tentando ser indelicado com os nossos fãs ou o próprio grupo, eu acho que a definição mais próxima seria algo que eu simplesmente acabei fazendo. Para ser honesto, o meu objetivo está bem claro. E é ter muitas pessoas ouvindo a minha música. Eu quero confirmar a minha existência mais ainda ao me apresentar em um palco grande. Francamente, antes do meu debut eu só queria continuar estudando. Porém, o que me trouxe de volta para a música foi essa empresa e esse grupo. É por isso que eu não quero dizer que promover com um grupo idol é um passo em direção ao meu objetivo. Isso é porque simplesmente têm tantas coisas que eu estou recebendo dessas promoções.

Você está dizendo que, primordialmente, você só queria fazer música e rap?

Isso. Porém, quando eu estava quase me concentrando nos meus estudos, eu recebi uma ligação do Sleepy hyung do Untouchable, e acabei fazendo uma audição para essa empresa através dele. Primeiramente, o BTS não estava nesse tipo de formato. Estava no formato do 1TYM da YG, na qual nós não iriamos dançar. É por isso que eu entrei nesse grupo. Porque eles falaram que eu poderia fazer rap em uma empresa grande como essa. E naquela época, eu também fui rejeitado em uma audição para a Big Deal Records, então eu estava desesperado. Eu achei que eu tinha que fazer isso de qualquer jeito. Era a empresa perfeita para realizar o meu sonho de querer confirmar a minha existência para outras pessoas. Contudo, quando o formato do grupo mudou, eu fiquei muito confuso. Eu também fiquei sem esperanças. Mas eu acabei aceitando isso… E cheguei até aqui.

O fato de que você não rejeitou isso também pode ser visto como uma “escolha passiva”, certo?

Está certo. Eu apenas… Eu acho que ser assim era simplesmente o destino (risos). Francamente, eu realmente odiava dançar. Porque eu não sou bom nisso. Eu ainda não gosto de dançar. Porém, o motivo pelo qual eu continuo nessa entrevista é porque eles disseram que iriam permitir que eu fizesse a minha música com as minhas letras e o meu rap, e isso está lentamente se tornando realidade. É assim para os álbuns do BTS e os meus trabalhos solo também. Por exemplo, a mixtape (RM) realmente não é diferente de mim mesmo. Eu acredito que a empresa está mantendo a sua promessa comigo. Eu gostava de Hip-Hop, queria fazer rap, e queria me apresentar em um palco grande. Assim que esses três se interligaram, eu cheguei aqui. Se você olhar de um outro ângulo… É algo que eu escolhi.

Mas esse é um mundo que claramente divide o Hip-Hop entre real e falso, e tem uma necessidade pela sua pureza. As críticas vão continuar a existir.

Eu entendo completamente. Às vezes eu tenho essa mente meio crítica em relação à mim também. Isso é porque às vezes eu tenho que fazer coisas que eu não quero. Quando eu vejo as letras de outros rappers de “Eu não faço o que eu não gosto”, eu acho bem legal e também tem um lado invejoso meu sobre isso. Como eu disse antes, eu entendo que as pessoas tenham uma mente crítica sobre a minha posição. E ficam muito confusas também. Mas, porque eu acredito que eu sobre aquele aspecto do Hip-Hop mais do que qualquer um, eu estou dando o meu melhor para ser o mais real possível nessa situação. E mais do que qualquer coisa, eu simplesmente quero ter o maior número possível de pessoas ouvindo à minha música. Essa é a maior coisa para mim.

Os padrões para “muitas pessoas” pode ser diferente para cada pessoa.

Está certo. Mas se alguém me perguntasse se eu simplesmente pudesse ter a minha música tocada para muitas pessoas não importa qual o método ou o jeito usado, eu iria responder que esse não é o caso.

Como resultado, “muitas pessoas” são o seu padrão, e as coisas nas quais você escolheu e determinou um compromisso durante a sua vida até agora, porque elas não violam os seus próprios padrões e valores. Porém, os seus padrões provavelmente continuarão diferentes dos padrões dos outros.

Eu entendo essas pessoas também. Eu acredito que eles podem com certeza ser assim. Mas eu acredito que a única coisa que permanece no final é a minha música.

Existe alguma crítica a qual você concorda que tem a ver com as promoções de grupo idol?

Existem muitas. Por que você usa maquiagem esfumaçada? Por que você tenta agir de forma bonita em apresentações? Etc. Para o Hip-Hop em que a pureza é importante e a masculinidade tem um grande papel, eu acredito que é com certeza uma crítica que pode ser feita. Então em alguns pontos, a minha consciência está dividida ao meio. O motivo pelo qual a capa da minha mixtape (RM) está dividida em preto e branco é para mostrar o meu eu duas caras. Eu acredito que não há melhorias se você tem um complexo de inferioridade e mentalidade de vítima. Eu decidi que eu só posso me encontrar assim que eu admitir à mim mesmo e aprovar que os dois lados são lados de mim.

Porém, em relação à tradição do Hip-Hop que coloca “ações” como algo importante, eles também poderiam estar pensando que você está recebendo tudo possível através das suas promoções com o grupo idol, e então tenta agir de forma Hip-Hop lançando uma mixtape solo. Críticas de que isso é uma contradição e não é legal. Mesmo que o nível de finalização da sua mixtape seja alto e bem feito.

Eu entendo esse pensamento. Você pode ver isso dessa forma. Mas eu tenho muita ganância. Os tipos de música que eu quero mostrar estão desse lado e daquele lado. Em conclusão, se eu posso fazer músicas boas e as pessoas continuam a procura-las, esse tipo de controvérsia não ficará melhor? É o que eu acho. Eu não vou mais vacilar por coisas assim. Eu já fiquei chateado demais até agora. Quando o G-Dragon lançou “Heart Breaker”, eu lembro. As reações de quando ela foi lançada, em comparação com “One of a Kind”, são realmente como o paraíso e o inferno. Ele não foi bem sucedido assim? Contudo, as pessoas que não gostam do G-Dragon continuam a não gostar dele. Não há nada que possa ser feito (risos).

Tem algo final que você quer dizer?

Eu espero que você definitivamente ouça essa mixtape. Apenas baixe e aperte nela. Mesmo que seja para dizer coisas ruins, eu espero que você possa ouvi-la pelo menos uma vez.

Cr; Hip-Hop Playa
Trans ko-eng; yasuis @ tumblr (@ryuveiys)
Trans eng-ptbr; Júlia & Carol @ btsbr

Faça um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s