[ENTREVISTA] 02.12.15 – TenAsia com Son Sungdeuk

Coreógrafo Son Sungdeuk fala sobre o BTS e “Run” (Entrevista)

O grupo BTS com certeza se tornou uma grande tendência. A faixa título “RUN” do seu mini álbum “The Most Beautiful Moment in Life pt.2”, lançado em 30 de novembro, levou o primeiro lugar em todos os tipos de charts de música. BTS, que tem construído seu fandom global de forma estável desde seu debut em 2013, agora já ultrapassou a fase de crescimento do seu fandom, tornando-se um nome comum nos charts de música.

O BTS é um grupo que mostrou suas performances poderosas e seu charme de danças afiadas desde sua música de debut, “No More Dream”. Eles estão juntando expectativas dessa vez também pela sua performance da faixa título “Run”. O BTS, com o seu comeback se aproximando, lançou sua apresentação de “Run” pela primeira vez para os seus fãs no show solo nesses últimos dias 27, 28 e 29. E também no MAMA 2015, que será no dia 2, eles irão transmitir a sua apresentação de “Run” pela primeira vez e exibir um dos comebacks de melhor escala até agora.

A expectativa pela performance de “Run” não é simplesmente porque esse grupo sempre se apresentou bem. Nesse último mês de abril, após as promoções do “The Most Beautiful Moment in Life pt.1”, o BTS terminou sua turnê mundial com sucesso e amadureceu ainda mais. Seu trabalho em equipe com o coreógrafo Son Sungdeuk, que está com eles desde o pré-debut, também ficou mais forte. Tanto quanto a experiência no palco que eles adquiriram, a expressão das performances do BTS também aumentou. A expectativa pela apresentação de “Run” também está misturada com a expectativa pelo crescimento do BTS (no futuro).

No dia em que eu entrevistei o coreógrafo Son Sungdeuk, eu pude ver o vídeo do ensaio da coreografia de “Run”, “Segundo dia de ensaio” do BTS. Sua aparência estava tão finalizada que eu não consegui acreditar que aquele era o “Segundo dia”. O coreógrafo Son Sungdeuk também acenou em aprovação às habilidades do BTS, dizendo que “a aquisição (dos movimentos) ficou mais rápida”. Que tipo de imagem o coreógrafo Son Sungdeuk pintou com “Run”? Nós ouvimos o que ele tinha para dizer sobre o crescimento do BTS e sua nova música “Run”.

P: Você está com o BTS desde o debut deles. Parece que quando você olha para o BTS agora a sensação é completamente diferente.

SSD: A maior diferença é que eles memorizam a dança rapidamente. Eles realmente se tornaram borboletas agora. Os membros antigamente realmente não sabiam dançar, e no caso do Jin ou do Rap Monster, até mesmo a forma com que eles andavam era desengonçada, mas agora nós chegamos ao ponto em que ficamos surpresos que “passaram-se apenas dois dias, mas nós já memorizamos tudo”. Durante a época do debut, eu corrigia seus expressões e gestos, e até mesmo o foco do olhar deles, mas agora ficou fácil (para eles). E também, quando eu estou descansando, o J-Hope, sozinho, diz para eles trabalharem nas partes em que eles não estão bons o suficiente, e o sistema de ensaio ficou mais estruturado.

P: Na entrevista anterior, houve um momento em que você expressou gratidão pelo J-Hope. A responsabilidade do J-Hope em termos de ensaio de coreografia deve ser grande.

SSD: Até mesmo agora, como sempre, o J-Hope está assumindo uma grande função. Dizem que é porque o J-Hope dança bem e sua resistência é boa, mas pelo fato de ele ser magro, sua resistência não é tão boa assim na verdade. Haha. Porém, ele tem um senso de responsabilidade quando se trata do ensaio. Ele lidera bastante os outros membros.

P: “Run” está sendo lançado primeiro em um show. Parece que a preparação para esse comeback é diferente daquela de um comeback normal.

SSD: (Sim). Já que os fãs são primeiros a ver. E não é como se estivéssemos fazendo um showcase especial; nesse tipo de momento, entre terminar os shows no exterior e estar em Seul antes do comeback, estamos mostrando isso primeiro aos fãs, então tem um grande significado.

P: O que você achou quando ouvir “Run” pela primeira vez?

SSD: No começo eu estava preso. Quando estava planejando a coreografia, se não a inspiração não vem de uma vez então você tem que espremer o seu cérebro para ela aparecer. A coisa fácil sobre “Run” foi que ela era uma continuação de I Need U, e nós ainda estávamos contando a história da juventude. É belo, porém triste, angustiado. O título é “Run”, então muitos movimentos de “correndo enquanto choro” saíram durante a preparação. Eu tive a ideia enquanto assistia ao prólogo, clipes, e nossos vídeos antigos. O final da coreografia de “Run” é uma borboleta. Da última vez era uma flor, e dessa vez é uma borboleta. Termina com uma borboleta, e já que se eu apenas incluísse um movimento de corrida seria muito óbvio, eu não poderia deixar de fora como, apesar de as crianças serem tristes e poderosas, dentro delas há um sentimento sexy.

P: Agora que você mencionou, a parte do Jin em “Run” parece ter uma sensação parecido com a de “I Need U”.

SSD: No começo eu estava preso. Quando estava planejando a coreografia, se não a inspiração não vem de uma vez então você tem que espremer o seu cérebro para ela aparecer. A coisa fácil sobre “Run” foi que ela era uma continuação de I Need U, e nós ainda estávamos contando a história da juventude. É belo, porém triste, angustiado. O título é “Run”, então muitos movimentos de “correndo enquanto choro” saíram durante a preparação. Eu tive a ideia enquanto assistia ao prólogo, clipes, e nossos vídeos antigos. O final da coreografia de “Run” é uma borboleta. Da última vez era uma flor, e dessa vez é uma borboleta. Termina com uma borboleta, e já que se eu apenas incluísse um movimento de corrida seria muito óbvio, eu não poderia deixar de fora como, apesar de as crianças serem tristes e poderosas, dentro delas há um sentimento sexy.

P: Agora que você mencionou, a parte do Jin em “Run” parece ter uma sensação parecido com a de “I Need U”.

SSD: A composição por si só é daquele jeito. Em uma parte, o Jin tem um close, ele tem uma cena de atuação em que ele pega uma borboleta e depois deixa ela ir embora. Eu acho que seria ótimo focar especificamente nessa parte.

P: Tem mais alguma parte que você espera que a câmera foque especificamente?

SSD: A borboleta é o mais importante. A parte do Jin é a parte final. As pessoas talvez digam “O que é isso?” quando elas verem, então o Jin tem que atuá-la bem o bastante. E também, eu gostaria que os fãs prestassem atenção no tipo de história que os membros estão dizendo através da dança. Toda vez que eu planejo a coreografia, meu estilo é que eu sempre expresso a letra através da dança, mas com o BTS, também tem muito rap (nas músicas). Por isso, se eles apenas dançam separadamente, a dança também ficará separada, a música ficará separada (N/T: ele quer dizer que não teria harmonia entre a dança e a música). Eu quero criar uma performance na qual você pode ver e ouvir a mesma história. Eu gostaria que os fãs olhassem para o porquê de o BTS mostrar essas expressões, o porquê de eles escolherem fazerem esses movimentos.

P: Que tipo de imagem você queria que o BTS mostrasse com “Run”?

SSD: Ao invés de querer mostrar algo específico, queria algo mais enérgico. Se “I Need U” foi suave, dessa vez eu queria expressar uma imagem um pouco mais enérgica, então eu adicionei um pouco mais de coreografia. A sensação é uma coreografia básica (de “Run”) com “I Need U” misturada.

P: Em termos do planejamento da coreografia ou conceito, você fala muito com os membros?

SSD: Como os membros escrevem letras, eu falo com eles bastante. Quando eu estou planejando a coreografia e considerando várias coisas, eles expressam as suas opiniões em um jeito de “Eu acho que isso ficará bom”. Quanto às partes solo também, a atuação e coisas do tipo, eles fazem sozinhos. Eu aponto as coisas que nós com certeza temos que incluir, mas todos pesquisam sozinhos antes de virem. Quando eu falo uma coisa, eles fazem dez coisas. Francamente, comparado a outros artistas, eu acho que foi sorte eu ter encontrado o BTS. Mesmo que eu faça ótimas coreografias, quem faz ela é mais importante, e eu gosto muito que quando eles fazem uma coreografia nível 1 (tão boa quanto “1”), eles a fazem como um 10.

P: De todas as coreografias do BTS nas quais você trabalhou até agora, qual é a que você tem mais orgulho?

SSD: Eu gosto de “No More Dream”, “We Are Bulletproof pt. 2” e “I Like It”. Até mesmo agora quando eu ouço “I Like It” em um show, eu fico emocionado. “No More Dream” e “We Are Bulletproof pt. 2” têm muita história, e nós realmente mudamos a coreografia várias vezes. Os meninos também cerram os dentes e trabalham duro. Pessoalmente, eu tenho mais afeição por essas, e por causa delas, o BTS estava atraente em termos de performance desde o começo.

P: Então, qual é a coreografia mais decepcionante?

SSD: Não é exatamente decepcionante, mas eu penso em “N.O”. Eu gosto muito da música e da coreografia de “N.O”, eu gosto muito, mas o álbum não se saiu bem. Eu acho isso uma pena porque parece que o álbum não recebeu muita atenção. Eu gostaria que o público olhasse bastante para a coreografia de “N.O”. Quando eu vou para workshops no exterior, eu sempre mostro “N.O”. Eu realmente quero mostrar muito essa dança.

P: Também há o assunto da performance one take de “Dope”. O começo com o Rap Monster também deixou uma forte impressão.

SSD: Eu acho que o Namjoonie se saiu bem em deixar sua parte do começo realmente se encaixando com o conceito de “Dope”. Na verdade, eu estava planejando que nós usássemos a técnica de one take há bastante tempo. Eu estava pensando nisso antes mesmo do debut. Se você assistir vídeos de coreógrafos estrangeiros, a técnica de one take estava na moda, então de alguma forma a moda chegou tarde à Coreia. Eu pensei que estava um pouco cedo para um grupo rookie fazer uma one take, então eu acabei tentando fazer isso em “Dope”.

P: Quando você achou que o BTS tinha mais ou menos se adaptado? (N/T: se ajustado aos seus arredores; perdido a sensação despreparada ou de rookie)

SSD: Eu sinto isso quando eu vejo muitos fãs fora das emissoras de TV (para programa de música), mas também quando fomos ao Japão e fizemos uma apresentação em um lugar que parecia uma casa de baladas. Realmente não havia muitas pessoas naquela época. Eu olhei para eles se apresentando na pequena casa de shows e pensei, “ficaremos maiores algum dia, certo?”. E também, eu fui à uma loja de goods de K-Pop em Osaka, e não tinha nem uma foto do BTS. Naquela época, o álbum do BTS ainda não havia nem saído no Japão. Após isso, nós fizemos o show no Japão, e nos Estados Unidos também, e enquanto eu via o crescimento do fandom, eu percebi que eles haviam crescido muito e realmente tinham chegado longe. Depois, durante as promoções de “I Need U”, eu senti que eles tinham melhorado. Quanto ao Jimin e ao JungKook, porque eles só tinham mostrado imagens fortes antes, eu pensei que eles não iriam conseguir mostrar a atuação introspectiva, mas depois de ver que eles conseguiam expressar a sua maturidade, eu fiquei satisfeito.

P: Já que a oportunidade surgiu, por favor, nos diga sobre os charmes individuais do BTS.

SSD: O Rap Monster se veste bem. Eu não consegui acreditar no seu visual quando eu o vi pela primeira vez, mas ele realmente se tornou estiloso. Haha. Ele tem muito interesse em roupas, e ele realmente se tornou o mais estiloso entre os membros. Ele agora passa a “aura de líder” como o líder, e ele tem carisma também. Os pensamentos do SUGA são muito profundos. Ele é muito educado (N/T: pode também significar suave, respeitável, como um cavalheiro). De todos eles, ele é o que é mais fácil de se comunicar (N/T: eles são os que mais se entendem). O Jin, já que ele é o hyung mais velho, ele costumava ser o esperto (N/T: também pode significar meio orgulhoso ou firme ao se associar com outras pessoas), mas nós conversamos bastante agora. Ele também costumava ser o que mais ficava encrencado (o que mais levava bronca/era punido), mas agora nós estamos confortáveis um com o outro e ficamos próximos. Ele amadureceu e é muito positivo. O JungKookie é muito inocente (N/T: também significa puro, genuíno). Ele não mudou nada desde o debut. Ele é o mesmo JungKookie de 15 anos que eu conheci no primeiro dia naquela primeira vez. Porém o seu corpo se tornou o de um homem. Eu sou muito agradecido ao J-Hope. Deve ser muito difícil (N/T: se referindo ao fato do J-Hope ser o líder da dança), mas ele é confiável. O Rap Monster é o líder para o próprio grupo, mas em relação a dança, o J-Hope é o que, mais do que qualquer um dos outros membros, é a nossa maior força. Ele organiza tudo sozinho. O Jiminie tem muitas ambições boas. Ele está sempre trabalhando duro. Até mesmo agora, ele treina bastante o canto. Ele pratica para preencher as lacunas que ele acha que não estão boas o suficiente em si mesmo. Ele fica depois de todos e pratica também. O V tem um charme atordoado. Nós também rimos bastante por causa do V. Quando eles estão aprendendo a coreografia, ele pensa por nós sobre o que mais ele pode fazer na sua parte. O senso dele não é brincadeira (N/T: o “senso” também significa “talento”, se refere ao quão rápido ele aprende a dança e o quão bem ele percebe o que está faltando; bom senso). O V tem boa memória também. Ele realmente tem talento para a dança até certo ponto.

P: Jimin, JungKook e J-Hope são os membros mais reconhecidos por suas danças. Quais são as diferenças entre eles em termos de dança?

SSD: Os charmes do Jiminie, do JungKook e do Hope são diferentes. A dança do Hobi tem uma sensação forte de Hip-Hop, e porque costumava fazer Hip-Hop de rua, ele realmente teve que trabalhar duro para se livrar daqueles hábitos de seu tempo como trainee. Ele é bom em ondas técnicas e popping. O JungKook tem uma boa força, suas linhas são bonitas, e ele mesmo sabe o que é bonito. Ele sabe como adicionar os movimentos corretos/precisos. O JungKook é bom em coisas básicas (N/T: ele apresenta os movimentos básicos de forma bastante precisa) e o Hobi é bom em técnica. O Jiminie costumava fazer dança clássica, então as linhas dele são bonitas. Ele tem um charme suave, porém forte.

P: No futuro, como você gostaria que o BTS se saísse?

SSD: Pessoalmente, eu acho que era bom ter um atrativo popular e ir por esse caminho. A partir de agora, é a música. Mais importante como que a performance no palco, qualquer que seja a música que eles façam, eu gostaria que eles fizessem a música que eles querem fazer, e uma música que seja sincera. Apesar de haver uma certa estrutura musical e algumas limitações para idols, eu quero que esses meninos realmente queiram fazer isso, trabalhem duro para isso, e contar as histórias de vida que eles querem contar. Esses meninos são muito bons em música. Quando eu olho para coisas tipo como eles escrevem letras, produzem músicas, eu fico muito surpreso de novo e de novo.

Repórter: Park Soo Jung @soverus

Cr; http://tenasia.hankyung.com/archives/787420
Trans ko-eng; JK @ btsofficialtrans
Trans eng-ptbr; júlia @ btsbr

Um comentário sobre “[ENTREVISTA] 02.12.15 – TenAsia com Son Sungdeuk

Faça um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s